Ciência para o Sucesso

Ciência para o Sucesso
Foto: Entrega de Certificado do Curso de 30h, ministrado pelo gestor Natal Furucho

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Convite do Apresentador

Você é líder?


Espírito de liderança é fundamental para que o ser humano seja bem sucedido em qualquer área onde se proponha a trabalhar. Sem isso, creio que suas chances de alcançar o sucesso serão pequenas e caso seja um empresário, provavelmente, não conseguirá manter as portas de sua empresa abertas por muito tempo. Principalmente, nos dias atuais, onde a competitividade se torna cada vez mais acintosa e a maleabilidade para negociar se faz necessária.

Portanto, antes de abrir uma empresa é importante que o candidato tenha certeza que será capaz de comandar sua equipe, sem emotividade, sem estresse e acima de tudo sem medo de trabalhar muito! Pois não existe facilidade para quem quer crescer. Além disso, é preciso que o empresário tenha um espírito forte, capaz de suportar crises sem se desesperar, capaz de trabalhar arduamente sem perder as esperanças e precisa antes de tudo ter muita fé em Deus para vencer as barreiras que surgirão nos seus caminhos.

Para se ter uma idéia das dificuldades a serem enfrentadas, mais de 80% das micro-empresas que são abertas fecham as portas no primeiro ano, dados estatísticos do Sebrae. Não pense que estou querendo desanimá-lo com essa má notícia, na verdade, estou querendo lhe mostrar que o simples desejo de ser empresário não basta, tem de haver uma reflexão sincera sobre sua capacidade real de gerir um negócio. Para isso, não pode haver erros, todos os detalhes devem ser analisados calmamente para que a empresa vá em frente, prosperando progressivamente sobre uma base sólida, constituída por fé e profissionalismo.

Mas também não precisa se angustiar, pois, nem só de maus presságios vivem as micro-empresas, muitas delas quando devidamente organizadas superam as fases críticas, crescem e muitas já estão exportando seus produtos para diversos países da América Latina, Europa e Estados Unidos. Tudo depende do espírito organizado e arrojado daquele que se propõe a ser cabeça de uma empresa. Nunca se esqueça que Deus dá ao ser humano uma capacidade incrível de vencer obstáculos, sejam eles quais forem. Basta crer e querer vencê-los!

Quando trabalhava em laboratório, aprendi com o dr. Carlos Nishiyama, médico e amigo da família um ditado popular usado na medicina que diz: “parte da cura esta na vontade de ser curado”. Você discorda disso? Eu também não. Sem sombra de dúvidas é muito importante para que haja a mudança esperada, uma vontade forte de virar a situação em que se vive. Se, para ser curado é preciso querer a cura, para ser empresário é preciso ter vontade de deixar a situação de proletariado para ser patrão. Não se esqueça: Uma grande caminhada começa com o primeiro passo, dê o seu hoje mesmo e siga sempre em frente, mais cedo ou mais tarde você chegará lá!

Reflita e aja

Um abraço a todos e muito sucesso!

A Inteligência Básica e a Prática

Quem não se lembra do famoso teste de QI (coeficiente de inteligência), aquele que “verifica” a capacidade intelectual do indivíduo. Sabe-se que por muitos anos, o nível de inteligência foi tido como fator diferencial para diversos fins, inclusive como diferencial seletivo para contratação de funcionários. Pensava-se que quanto maior o QI, maior seria a desenvoltura do empregado.

Tese a princípio, irrefutável. Funcionava muito bem, para os padrões existentes às épocas de pouca competitividade. No entanto, o avassalamento da economia brasileira, o aumento exacerbado da concorrência e a iminência de crises financeiras, forçaram as empresas a adotarem medidas drásticas para se manterem abertas. Muitas tiveram de reduzir o quadro de funcionários, enxugando os custos operacionais para manterem suas portas abertas. Havia, porém um problema: elas não podiam prejudicar a qualidade dos produtos e serviços, sob pena de evasão de clientes.

Descobriu-se, então, que nem todos os funcionários selecionados através do teste de QI, conseguiram se adequar às mudanças bruscas. Grande parte deles tornou-se territorial como a animais. Demarcavam espaços como sendo propriedades exclusivas suas, numa demonstração clara de desequilíbrio emocional. Esses distúrbios, jamais poderiam ser detectados através dos testes clássicos de medição da inteligência.

Eis ai, um novo problema para as empresas. Encontrar pessoas inteligentes e equilibradas emocionalmente para ocuparem as lacunas existentes. Como achar pessoas com esses dois perfis? Essa foi a pergunta que os empregadores fizeram durante anos. Embora a resposta fosse óbvia, os empregadores só puderam descobri-la, depois de muitas contratações e demissões.

O perfeito profissional adequado para os novos padrões são aqueles dotados de Inteligência Prática, i.e, aqueles que possuem a capacidade intelectual para adaptar-se ao meio em que está inserido. É aquele que sabe usar a inteligência para resolver problemas, aprimorar técnicas de trabalho, que tem agilidade para tomar decisões, mas possui também, a capacidade de conviver pacificamente com todos, independente da posição que ocupa.

Basicamente, a fórmula da inteligência prática é: ser bom no que faz e ter bom jogo de cintura para saber conviver com todos amistosamente, respeitando as diferenças pessoais.

Reflita e aja!

Um abraço a todos e muito sucesso!